terça-feira, 15 de janeiro de 2013

Arminianismo e Jo 6:44 Quem pode ir ao Pai?

Breve nota exegética
 Arminianismo e Jo 6:44 Quem pode ir ao Pai?

Me envolvi em uma pequena discussão com um grupo de amigos e foi solicitada uma exegese arminiana sobre à atração do Pai sob prisma arminiano, isso me gerou alguns problemas:

1) não tenho muita disciplina para escrever, então muitas coisas ficaram por serem exploradas;
2) seria uma arrogância da minha parte dizer que falo pelos arminianos ou pelo arminianismo. Não tenho competência para isso.

Nesse pequeno esboço procurei apenas apontar o que o texto não fala, o que  via de regra imposto é ao texto por grupos discordantes. Dessa forma, deixo bem claro que falo somente por mim, e qualquer inconsistência é apenas de minha responsabilidade.

Penso que a apresentação dessa nano exegese poderá ajudar os leitores do blog arminiano  a se livrarem das pressuposições calvinistas que são impostas na leitura do texto. Como disse, é apenas um começo, de algo que poderá ser ampliado no futuro.


Ελκυw pode conter os seguintes significados:

1. Ελκυw e sua utilização em relação a objetos
1.1 A rede de peixe puxada para a praia (Jo 21:6, 11)
1.2  Pedro desembainhando a espada (Jo 18:10)

2.Ελκυw e sua utilização a pessoas
2.1 Paulo e Silas sendo arrastados (At16:19)
2.2 Alguém podendo ser arrastado ao tribunal (Tg 2.:6)
2.3 Cristo atraindo pessoas (Jo12:32)

 O Dicionário Strong nos oferece dois possíveis significados 1) puxar, arrastar, 2) metáfora para puxar por um poder interno, arrastar impelir. Agora que estamos cônscios das possíveis aplicações do termo, devemos nos perguntar: qual é a aplicação dele em Jo 6:44?

Calvinistas em geral  cometem a falácia lexical que consiste em  impor a um determinado texto e contexto um outro sentido, pelo motivo de o vocábulo estar presente em outros textos com significados delimitados pelo seu próprio contexto.

Um exemplo simples e bastante compreensível seria pensarmos que o termo manga sempre se refere a fruta. Então, quando digo que estou usando uma camisa de manga, alguém concluí que tenho frutas penduradas  na minha camisa.

Voltemos à pergunta: qual é o significado de Ελκυw [ arrastar, atrair, seduzir, ] em Jo 6:44?
Se observarmos o contexto imediato veremos que a polêmica se dá quando Jesus afirmar ser o Pão da Vida Jo 6:35, Nesse momento os judeus procuram alguma autenticação externa da afirmação de Jesus. Jesus então passa a exortar sobre a necessidade não de um sinal externo, mas da ação sobrenatural de Deus para trazer o homem pecador para si:

 "E Jesus lhes disse: Eu sou o pão da vida; aquele que vem a mim não terá fome, e quem crê em mim nunca terá sede." (Jo 6:35)


"Todo o que o Pai me dá virá a mim; e o que vem a mim de maneira nenhuma o lançarei fora." (Jo 6:37)

"E a vontade do Pai que me enviou é esta: Que nenhum de todos aqueles que me deu se perca, mas que o ressuscite no último dia."  (Jo 6:39).

O que podemos afirmar considerando esse breve contexto é que

O homem só pode vir a Deus por meio de Cristo. Essa afirmação não diz que: 

1) que Deus não quer que ninguém vá; 
2) que o homem jamais poderá ir; 
3) Que esse ir é irresistível. 

Tentar impor isso no texto é eisegese e não exegese. E porquê? Porque δυναται segundo Mickelson Enhalceld Strong’s Greek and Hebrew’s Dictionares é um vocábulo no tempo presente do indicativo Médio (ênfase minha) , ou seja, a restrição de não poder ir ao Pai não é uma restrição ou impedimento planejado, decretado e estabelecido pelo Pai. O texto diz somente o que homem não tem condições, habilidades de por contata própria ir até o Pai. Lembremo-nos de que na voz média o sujeito causa sua própria ação. Por ex. eu me lavo, eu me amo etc... 

Ainda podemos notar que ελκυσω é também o vocábulo utilizado quando Jesus afirma que atrairia [ελκυσω] todos  a Ele, então uma defesa do Ελκυw como força irresistível enfrenta outro problema:

1) nem todos serão salvos;
2) Se a atração é irresistível, então ninguém pode resistir, logo todos devem ser salvo. 

Porém sabemos que nem todos serão salvos, e com isso teríamos uma inconsistência  de caráter lógico com a quebra [tertium non datur] do terceiro excluído.

Bibliografia:

Mickelson. Jonathan Kristen, Enhalceld Strong’s Greek and Hebrew’s Dictionares. 2008.
Strong, James. Léxico Hebraico, Aramaico e Grego de Strong. Sociedade Bíblica do Brasil, 2002.


5 comentários:

  1. Muito bom.

    Para uma perspectiva mais abrangente do evangelho de João, indico este link:

    http://www.arminianismo.com/index.php/categorias/diversos/artigos/51-i-howard-marshall/1346-i-howard-marshall-a-predestinacao-divina

    ResponderExcluir
  2. Boa explicação irmão douglas - pois os calvinistas - usam este texto como "prova" -
    Deus continue abençoando

    ResponderExcluir
  3. Danilo Ribeiro, Graça e Paz.
    Fico feliz em saber que considerou essa breve nota exegética como boa. Na verdade o texto é extremamente rico e merece um exame bem mais profundo do que eu ofereci.
    Pretendo estender essa análise futuramente.

    ResponderExcluir
  4. Paz seja contigo

    Irmão, creio que você não explicou satisfatoriamente. Boa parte do seu texto foi dedicada aos possíveis significados do termo hebraico, outra parte a 3 pontos que não se podem inferir dos versículos que estão em Jo 6:35,37,39 (concordo com os 2 primeiros, mas o versículo 37 parece dizer sim que ir é irresistível) e apenas um pequeno parágrafo à questão central.

    "Nesse momento os judeus procuram alguma autenticação externa da afirmação de Jesus. Jesus então passa a exortar sobre a necessidade não de um sinal externo, mas da ação sobrenatural de Deus para trazer o homem pecador para si:"

    Você cita este fato dos versículos 41 e 42, mas depois comete o descuido de quebrar a continuidade do contexto ao deixar de citar a resposta de Jesus a partir do 43 e ao invés disso citar o que Jesus disse antes do questionamento dos judeus.

    Analisando o contexto da forma correta, teremos:

    Nos versículos 41 e 42, os judeus murmuram entre si procurando entender a afirmação de Jesus de que ele é o Pão que desce do Céu, pois eles perguntam: "Como ele pode ter vindo do Céu se conhecemos seus pais?".

    Jesus então responde ao murmúrio, dizendo: "Não murmureis entre vós. Ninguém pode vir a mim, se o Pai que me enviou o não trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia. Está escrito nos profetas: E serão todos ensinados por Deus. Portanto, todo aquele que do Pai ouviu e aprendeu vem a mim."

    O que é ir a Jesus? Crer nEle e seguir suas palavras. Então sua resposta ao murmúrio dos judeus é que ninguém pode crer nEle se o Pai não conceder fé. Que sentido faz essa reposta? Mostra que o murmúrio dos judeus era sinal de incredulidade deles e diz em outras palavras que eles não vão até Jesus (ou seja, não creem) porque não foram trazidos pelo Pai. Não é porque eles "decidiram" não crer, mas porque o Pai não concedeu fé a eles.

    O diálogo prossegue e mais adiante os judeus dizem que o discurso de Jesus era muito duro. Jesus responde, do 61 em diante: Isto escandaliza vocês? E se vocês vissem o Filho subir para onde estava no início? O que estou dizendo é vida, mas alguns de vocês não acreditam (então o texto diz: "Porque bem sabia Jesus, desde o princípio, quem eram os que não criam, e quem era o que o havia de entregar). Foi por isso que eu disse que ninguém pode vir a mim se o Pai não lhe conceder.

    Em outras palavras: aqueles de vocês que não creem, é porque o Pai não lhes concedeu fé.

    ResponderExcluir